11º Princípio Ágil

Postado em

Teamwork and team spiritAs melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis

Nesse “post” responderei a duas perguntas: o que é uma equipe auto-organizável  e por que as melhores soluções emergem dessas equipes.

O sintagma “equipe auto-organizável” foi cunhado por Takeuchi e Nonaka e publicado em 1986 em um artigo intitulado “The New New Product Development Game” na conceituada revista “Harvard Business Review”. Esse sintagma consistia em uma das 6 características do processo de desenvolvimento de novos produtos em empresas líderes. O estudo desse novo jogo no processo de desenvolvimento de novos produtos foi motivado pelos resultados alcançados por empresas como Canon, Honda e Xerox que perceberam serem necessárias velocidade e flexibilidade, em adição à alta qualidade, baixo custo e diferenciação, para se sobressaírem em mercados competitivos.

Não é propósito desse “post” descrever sucintamente as outras 5 características, entretanto as listo: instabilidade inerente; fases de desenvolvimento sobrepostas; “multiaprendizagem”; controle sutil; e transferência de conhecimento organizacional.

Uma equipe adquiri uma “personalidade” auto-organizável quando é direcionada para um estado de “zero informação”, ou seja, um estado onde conhecimento e paradigmas existentes não se aplicam. Os autores fazem uma analogia dessa “personalidade” comparando-a com a de uma empresa “start-up”. Essas equipes caracterizam-se por 3 condições:

  1. Autonomia: após receberem uma missão com objetivos claramente definidos, o time está livre para definir sua própria direção. A alta gerência limita-se a dar orientação, recursos e apoio moral;
  2. Auto-transcendência: a equipe busca continuamente estender seus limites. Partem da diretriz recebida da alta gerência, estabelecem objetivos iniciais, elevando-os constantemente durante o processo de desenvolvimento. Ao perseguir objetivos aparentemente contraditórios a equipe supera seu “status quo” e faz descobertas incríveis;
  3. Fertilização cruzada: uma equipe multidisciplinar, com variados padrões de comportamento, processos conhecidos e especialização funcional conduz o desenvolvimento do novo produto. A referida fertilização acontece na iteração entre essas pessoas. Ao compartilharem um mesmo ambiente de trabalho o processo de transferência de conhecimento entre seus membros acontece naturalmente, caracterizando o termo fertilização cruzada.

Portanto uma equipe auto-organizável é aquela com comportamento parecido de uma empresa “start-up”, que parte para desenvolver um novo produto com autonomia para decidir o que fazer, quando fazer e o porquê fazer, que busca ampliar constantemente seus limites, emergindo dessa busca descobertas incríveis, e onde pessoas com competências distintas trocam conhecimento. Mas por que as melhores soluções emergem dessas equipes?

Sinergia, onde o total é maior do que a soma das parcelas. Uma equipe multidisciplinar funciona como um único organismo. Suas limitações são muito menores do que a dos seus constituintes e o seu conhecimento é muito maior do que aquele que cada indivíduo detém. Adicionalmente um especialista por não tolerar erros em sua área de competência está muito menos propenso a desafiar o “status quo” enquanto o não especialista está constantemente motivado a fazê-lo. Penso que essas são as razões por trás do princípio “As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis”. Veja a fonte.

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.” Romanos 1:16

Anúncios